Parceria com Prefeitura de Pacajá promove ampliação da feira da produção familiar

Os habitantes de Pacajá (PA) terão mais alimentos frescos à disposição e os produtores locais, melhor estrutura para comercializar seus produtos em 2017, com uma parceria com nasce em janeiro entre a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico (SEMDE) e o Sindicato dos Trabalhadores Rurais (STTR) e agricultores familiares do município.

Em reunião na semana passada, representantes da secretaria, do sindicato e parceiros se uniram para ampliar a feira de produção familiar, realizada quinzenalmente desde maio de 2016 com a ajuda do IPAM, INCRA e Fundação Viver Produzir e Preservar: o STTR e o IPAM identificarão novos produtores interessados em comercializar seus produtos e a SEMDE avaliará um local fixo apropriado para realização da feira, além de apoiar o transporte dos produtos da área rural até a sede do município.

“Trabalharemos para que a feira continue. Essa iniciativa tem um grande potencial para fortalecer e alavancar a produção agrícola do município. Por isso, queremos incentivar os agricultores familiares para que comercializem seus produtos e, dessa forma, gerar desenvolvimento econômico para a região”, afirmou o secretário, Ricardo Adriano Santos.

A feira ocorre no âmbito do contrato de assistência técnica firmado entre IPAM e INCRA para o Projeto de Assentamento Bom Jardim, com o objetivo de incentivar agricultores familiares, incluindo beneficiários do Projeto Assentamentos Sustentáveis da Amazônia (PAS), a comercializarem seus produtos e promover a geração de renda nas propriedades rurais. Com o sucesso do projeto, a iniciativa foi ampliada para atender um número maior de agricultores beneficiários do PAS.

A coordenadora do IPAM em Altamira, Lucimar Souza, define a parceria como fundamental para a continuidade do projeto. Segundo ela, a soma de esforços dos antigos parceiros e da nova gestão municipal permitirá que a feira passe a acontecer semanalmente.
“A feira surgiu de um anseio dos produtores que não conseguiam acessar a rede de comercialização dos mercados institucionais e tem gerado resultados interessantes. Ela é dinâmica, os produtos são comercializados no dia seguinte à colheita e os produtores recebem o pagamento na hora”, explica Souza. “Essa modalidade de comercialização gera uma satisfação enorme nas famílias participantes, contribui com a renda e, como efeito, promove diversificação da produção nos lotes e consequente melhoria da segurança alimentar das famílias envolvidas.”

Os agricultores estão satisfeitos com a comercialização na feira e acreditam que a parceria com a Prefeitura de Pacajá será importante para o desenvolvimento da agricultura local. “Antes eu vendia meus produtos no mercado municipal, para atravessadores, a um preço muito baixo, e isso me desestimulava a continuar. Com a feira, temos um incentivo para plantar, porque agora temos um lugar para comercializar a um preço justo”, afirma o agricultor Raimundo Salles da Silva, participante do projeto.

“A feira melhorou a renda do lote e está contribuindo para o sustento da minha família. Com a feira em lugar fixo poderemos vender os produtos semanalmente, o que aumentará nossa renda”, diz a agricultora Felisbela Maria Costa dos Santos.

Nenhum comentário.

Deixe um comentário